Lente de contato dental: tecnologia e impacto na estética

Em entrevista ao IN, dentista Guilherme Rocha, da Clínica Royal, explica detalhes sobre o procedimento

Um belo sorriso faz toda a diferença – abre portas e eleva a autoestima -, e um dos procedimentos mais procurados para se alcançar tal resultado, com dentes brancos e alinhados e sem precisar de anos de tratamento odontológico, é a lente de contato dental: uma lâmina de porcelana moldada manualmente e aplicada sobre a superfície do dente, melhorando a aparência e corrigindo pequenas imperfeições.
O processo é sensação entre artistas, políticos e esportistas tem como principais objetivos preservar a estrutura natural e reestabelecer a função e resistência dos dentes. Para entender mais sobre o procedimento, o site Inteligência e Inovação (IN) conversou com o dentista Guilherme Rocha, da Clínica Royal Odontologia, um dos especialistas mais requisitados a respeito do tema, que ofereceu detalhes sobre a aplicação, cuidados e tudo o que cerca essa tendência nos consultórios odontológicos.

Inteligência e Inovação: O que é a lente de contato dental?
Guilherme Rocha: A lente de contato é uma película de porcelana, confeccionada em um forno adequado para o material ou em impressoras 3D. São películas de 0,2mm a 0,5mm, feitas de porcelana, e aplicadas sobre os dentes que podem mudar forma, coloração, mexer com o enquadramento dos dentes, podendo promover tudo isso de forma definitiva e conservadora, com muito pouco desgaste ou sem nenhum desgaste ao longo do tempo.

IN: Quando foi iniciado esse tipo de procedimento?
GR: Essas transformações têm muito tempo, mas antes a matéria-prima não era confiável a esse ponto. Antes elas desgastavam, fraturavam. O nome lente de contato é um nome comercial para lâminas de porcelana ultrafinas. O mercado das lentes tem se estabelecido nos últimos cinco anos.

IN: A respeito da confecção em impressora 3D, poderia falar um pouco mais sobre este processo?
GR: Sobre a impressora 3D, na verdade não é bem uma impressora. Existe um software que scanneia o modelo de gesso ou a boca do paciente. Esse material leva um torno que esculpe a matéria prima e gera um molde, próximo do que paciente está buscando, dando formato para a lente de contato, mas ainda sem oferecer um resultado pleno. O preparo no dente é mais invasivo e o molde sai de forma ‘bruta’, podendo ser feito na broca ou no laser, mas ainda com a necessidade do ceramista (profissional responsável por trabalhar manualmente na atividade de produção de objetos e artefatos). Hoje em dia, já existe uma fixação por máquinas, com bastante tecnologia, mas o trabalho manual na odontologia tem um grau de perfeição muito maior. O técnico ceramista também faz uma grande diferença para nós dentistas, é ele quem esculpe e pinta as camadas de porcelana da lente de contato. É ele que, também, pode fazer o meu resultado melhor. O trabalho dele interfere 50% no resultado do meu trabalho.

IN: Qual a diferença entre a lente de contato e a faceta de porcelana?
GR: A lente de contato tem de 0,2mm a 0,5mm, como já foi dito, enquanto as facetas de porcelana vão de 0,5mm a 1,2mm, então a diferença está na espessura e no grau de conservação, embora também exista a diferença tecnológica, que passa pelo desenvolvimento, durabilidade e precisão da lente de contato. Vale salientar que o preparo para a implementação de uma faceta é mais invasivo, enquanto que na lente ou é minimante invasivo ou não existe nenhum tipo de preparo; cada caso tem uma indicação’.

IN: Qual o tempo e como ocorre a aplicação da lente de contato?
GR: A aplicação varia de acordo com a necessidade do paciente, como eu disse, cada caso tem uma indicação, então o processo pode ser de um ou dois meses como de um dia para o outro, isso sem citar os exames necessários para se identificar o estado atual dos dentes do paciente. Logo, existem meios de se chegar ao mesmo resultado, da mesma eficiência, mesmo não tendo todo o tempo disponível, mas nesse caso acaba ficando muito em minha responsabilidade, por interferir menos no processo como o todo. E como destacado, eu preciso avaliar o paciente, traçar um planejamento, é uma forma de mostrar todas as etapas, de onde o paciente saiu, tudo o que ele passou e até onde ele pode chegar.

IN: Existe alguma recomendação específica para realizar o tratamento?
GR: Não existe uma recomendação clássica para que o tratamento seja executado, mas tem situações que o tornam mais conservador, como em pacientes que possuem diastemas (espaçamento entre os dentes). Para ocupar esses espaços é preciso ser um pouco mais conservador, cuidadoso, até por conta do tamanho dos dentes, que podem ser maiores ou mais projetados, por exemplo. O paciente quer no resultado, acima de tudo, naturalidade’.

IN: Ao longo do processo, vocês adotaram o que intitulam ‘projeto sorriso’. O que seria?
GR: A gente faz uma simulação de como o sorriso do paciente ficaria com as lentes de contato, ele consegue experimentar isso, vivenciar, por meio de uma simulação. Ele passa alguns dias com ela, o que já é um grande passo. Eu costumo comparar a simulação de uma tatuagem, ele experimenta, vê como se adapta à lente de contato, vivencia o que deseja por alguns dias, e também faz ajustes. Ou seja, quando ele retorna, se deseja mudanças, começamos as modificações na própria boca do paciente, o que torna o resultado positivo, já que há um trabalho estético e com auxílio de fotos ao longo de todo o processo.

IN: Existe alguma contraindicação?
GR: Tendo os devidos cuidados, cuidados básicos, como fazer limpeza de quatro a seis meses, o que também pode diferir de acordo com o indivíduo, pela genética, não existe nada que possa ser ruim para o paciente. Há de se destacar que, pelo fato de ser uma lâmina muito fina, em um dente muito escurecido, provavelmente, o resultado não será satisfatório, o que pode ser visto como única contraindicação. Na verdade, situações vistas como contraindicações são contornáveis, como o bruxismo (ranger ou pressionar dos dentes). O paciente, nesse caso, usa uma placa noturna, de acrílico. Existe solução e possibilidade para tudo. Existe uma gama de procedimentos que podem ter uma solução para cada caso.

IN: Algumas pessoas comparam o procedimento com o do aparelho odontológico…
GR: A lente pode interferir na estética, mas não na arcada dentária. O aparelho faz uma movimentação de dente e raiz, então ele movimenta os dentes; a lente de contato não. O que você faz é tornar esse posicionamento mais agradável, bonito. A lente mexe na estrutura, no formato do dente.

IN: Qual o valor do tratamento?
GR: Falar por mim é complicado, mas pela odontologia, no geral, você vai pagar de 1,5mil a 3,5 mil por dente. Isso varia muito, de acordo com o profissional, com o trabalho que ele realiza e da matéria-prima utilizada, a porcelana é um tipo. Mas, pelo que vejo o preço não é preponderante para a tomada de decisão, e sim a forma como foi abordado o assunto, como foi planejado o sorriso, o prazo do tratamento, etc. As pessoas querem um resultado que seja de excelência, então é preciso enxergar a real importância do processo e de como ele pode interferir no resultado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s