impessora braileO norte-americano de origem indiana Shubham Banerjee é fundador da Braigo Labs, empresa que desenvolveu uma impressora braile a partir de um kit de Lego. O mais novo empreendedor do Vale do Silício contou sua história ontem em workshop na Campus Party Brasil 2015.

“Descobri que as impressoras para cegos existiam, mas eram muito caras e inacessíveis”, disse Shubham antes de sua palestra. As impressoras braile disponíveis no mercado norte-americano custam cerca de R$ 5.400. No Brasil, não sai por menos de R$ 8.000. A inovação feita com peças de Lego pode chegar às lojas custando R$ 1.350.

A ideia que inicialmente era um projeto de ciência teve alcance internacional com a ajuda dos pais do garoto. Neil Banerjee, engenheiro da Intel, financiou a ideia do filho, enquanto a mãe, Malini Banerjee, deu total apoio à criação da impressora.

A Intel deu à Braigo o aporte para chegar à versão final, que será comercializada, mais leve, prática e imprimindo em folhas A4, como uma impressora tradicional. O projeto inicial imprimia apenas em rolos de notas fiscais.

“Eu não criei a impressora pensando em dinheiro. Eu queria criar algo acessível para as pessoas com deficiência e que têm pouco dinheiro”, disse Shubham. A maior dificuldade do garoto foi conhecer o alfabeto braile. Porém, ele teve a ajuda de um cego.

O presidente Barack Obama quis conhecê-lo. O garoto foi convidado a apresentar a sua criação na Casa Branca. Depois disso, sua vida não foi mais a mesma. Deu centenas de entrevistas, ganhou prêmios pela iniciativa, inclusive no Brasil, na Campus Party 2015.