Um equipamento que transforma pensamentos em discurso natural, com fala gerada através de um computador. Essa foi a descoberta dos pesquisadores da University of California (UCLA) em São Francisco, que chamam o avanço na tecnologia de “emocionante”.

Publicado na última quarta-feira, através da revista científica Nature, o artigo dos cientistas explica que, após muitas pesquisas, os especialistas desenvolveram um sistema, uma simulação por computador, capaz de transformar as ondas cerebrais em uma voz virtual. O intuito dessa novidade é ajudar a restaurar a fala de pessoas com paralisia ou danos neurológicos, oferecendo uma nova chance para se comunicarem.

O equipamento

O dispositivo funciona através de uma interface cérebro-computador (“brain-computer interface” ou “BCI”), que “traduz” as intenções de fala da pessoa combinando sinais cerebrais com movimentos físicos que normalmente ativariam o trato vocal de uma pessoa, ou seja, laringe, mandíbula, lábios e língua. Essa técnica tem sido utilizada, também, para gerar movimentos em pacientes com paralisia.

Os sistemas anteriores de BCI tinham como foco a digitação como forma de facilitação da fala e, geralmente, permitiam que a pessoa digitasse 10 palavras por minuto, no máximo. Essa modalidade é muito mais devagar do que a média de fala, que é de cerca de 150 palavras por minuto.

A descoberta teve início enquanto os pesquisados da UCLA monitoravam as atividades cerebrais de cinco voluntários como parte de um tratamento de epilepsia. Em meio às pesquisas,  os cientistas registraram atividade em uma região do cérebro que produz a linguagem, tudo isso enquanto os pacientes liam frases em voz alta.

Gopala Anumanchipalli, cientista que liderou a pesquisa, disse que o avanço veio ligando a atividade do cérebro aos movimentos na boca e garganta durante a fala, em vez de associar os sinais cerebrais à acústica e aos sons.

“Pensamos que, se esses centros de fala no cérebro estão codificando movimentos em vez de sons, devemos tentar fazer o mesmo na decodificação desses sinais”, disse ele no comunicado à imprensa.

A equipe responsável pelo projeto alega que o sistema de computador não apenas restauraria a fala, mas pode, eventualmente reproduzir a “musicalidade” da voz humana, o que transmite as emoções e a personalidade de um falante.

Fonte: CNBC