Pesquisadores da China e Estados Unidos avançam com produção de novo material

Um material sintético, descoberto por pesquisadores da China e dos Estados Unidos, conseguiu reproduzir as propriedades mecânica de tecidos biológicos como tendões e cartilagens com mais eficiência do que tudo o que já foi testado.

As cartilagens biológicas são resistentes a impactos e tensão. São constituídas por fibras proteicas de colágeno e proteínas recobertas por moléculas de açúcares, chamadas de proteoglicanos.

O material em teste é produzido a partir de uma mistura entre aramida e álcool polivinílico. A aramida e conhecida comercialmente como Kevlar, um materia usado em coletes a prova de balas. Suas fibras nanométricas resistem a pressão, tensão e calor. Já o álcool polivinílico é um polímero solúvel em água.

Juntos, os dois materiais formaram um composto de propriedades semelhantes às das cartilagens, que detêm teor de água elevado, com estrutura estável, rigidez e resistência à tensão.

A pesquisa, que une os grupos de Nicholas Kotov, da Universidade de Michigan, Estados Unidos com cientistas da Universidade Jiangnan, China, até o momento é a mais promissora entre as de vários outros materiais sintéticos que estão sendo testados.

Kotov, nascido na Rússia e radicado nos Estados Unidos, é conhecido por suas contribuições pioneiras para nanoestruturas biologicas. Nesses grandes campos de pesquisa interdisciplinar, trabalha nos tópicos de nanocompositos biológicos em camadas, auto-montagem de nanopartículas e nanoestruturas.

Ele descreveu o primeiro exemplo de nanocompositos de óxido de grafeno em camadas e sua redução ao grafeno, em 1996. Dois anos depois, estes nanocompositos de grafeno foram usados para preparar baterias de íon de lítio.