Startup brasileira de educação recebe investimento de R$ 54 milhões

Netflix do Enem

De preparatório para o vestibular a curso de pós-graduação e exame da OAB. Essa é a nova empreitada da startup brasileira de educação Descomplica, que conseguiu R$ 54 milhões numa nova rodada de investimentos, liderada pelo fundo americano Invus Opportunities.

Fundada em 2012 pelo professor de física Marco Fisbhen, a empresa é uma espécie de “Netflix do Enem”, com milhares de aulas gravadas e transmissões ao vivo para quem vai prestar o Exame Nacional do Ensino Médio e outros vestibulares.

O dinheiro que chega financiará as próximas aulas, que devem ser de cursos de graduação e pós-graduação universitária, além de material para quem vai prestar a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ou concursos públicos.

Para isso, a empresa deve dobrar de tamanho nos próximos meses, saltando de 200 funcionários para 400 pessoas até o fim de 2019.

“A expansão será tanto em professores como na área de tecnologia”, diz o empreendedor, que trocou as salas de aula pela frente das câmeras para criar o Descomplica.

“Devemos fazer compras tanto no mercado de educação quanto no de startups de tecnologia”, diz o executivo. O primeiro passo nesse sentido foi dado ainda em 2016, quando a empresa comprou o curso preparatório Master Juris, voltado para OAB e concursos públicos.

Mensalidade

Cerca de cinco milhões de pessoas assistem aulas pela plataforma todos os meses. A empresa, porém, não abre o percentual de usuários que pagam pelo seu conteúdo, em mensalidades que variam entre R$ 20 e R$ 40 por mês.

Fisbhen diz que o momento é de otimismo. “Conseguimos bater nossas metas durante a crise econômica, porque oferecemos um modelo acessível de estudo, seja no preço ou na falta de necessidade do aluno precisar se deslocar”, diz. “Agora, vamos crescer muito mais.”

(Com informações da Agência Estado)