129500-dengue02Em janeiro de 2016, uma nova tecnologia importada da Malásia será testada no combate ao mosquito “Aedes aegypti”, transmissor da dengue, chikungunya e zika. O projeto desenvolvido pela startup Aime trata-se de um algoritmo baseado em inteligência artificial capaz de prever, com até três meses de antecedência, os locais onde haverá maior incidência da doença.

A startup foi escolhida por meio do programa Pitch Gov, que selecionou 15 startups com ideias para melhorar serviços públicos. Por meio de um convênio, o governo testará a nova tecnologia da Aime e, se ela obtiver bons resultados no combate ao mosquito, poderá ser contratada.

Na prática, a definição das áreas de risco permite o uso mais eficaz de mecanismos de combate à dengue, como larvicidas, “fumacê” e mosquitos geneticamente modificados. Atualmente, o Ministério da Saúde não tem um método preciso para identificar regiões onde o mosquito vai se proliferar.

Fonte: Revista PEGN