Célula de hidrogênio traz a vantagem de não produzir poluentes em nenhuma de suas etapas de operação ou abastecimento

A Toyota, fabricante japonesa de automotivos, busca revolucionar o mercado e mira a produção de veículos movidos a hidrogênio. Os testes iniciais acontecem com um protótipo de caminhão, nos Estados Unidos, e a perspectiva é otimista.

Com motores à combustão e os elétricos, a célula de hidrogênio traz a vantagem de não produzir poluentes em nenhuma de suas etapas de operação ou abastecimento – nos EUA, os dois principais geradores de gases com efeito estufa são justamente os setores de transporte e o de geração de eletricidade.

Os japoneses da Toyota elaboraram o projeto ‘Portal’, que analisa a viabilidade de usar célula de combustível de hidrogênio em grandes caminhões, com o primeiro protótipo baseado no Kenworth T660, onde parte da cabine que correspondia ao leito foi ocupada por quatro tanques de hidrogênio sob alta pressão e duas baterias de ions de lítio de 6 kWh. Também há duas células de combustível saídas diretamente do Toyota Mirai.