Como chegamos ao mundo moderno

ideia-500x380Em seu novo livro “How We Got to Now: Six Innovations That Made the Modern World”, Steven Johnson segue o caminho de 6 tecnologias desde a pré-história até a era moderna, mostrando como cada uma se desenvolveu, as mudanças que operou, quais novas possibilidades (para o bem e o mal se abriram, quais inícios falsos vieram antes delas, e para onde podem nos levar).

É outro grande livro deste que talvez seja o mais interessante autor sobre inovação hoje. Johnson sabe que inovação depende do caminho histórico- não de pessoas geniais. Depende do que aconteceu antes, e nada deste mundo faz acontecer uma inovação cujo tempo ainda não tenha chegado. Como mostro em meu próximo livro, o segredo para quem quer fazer inovação é entender quais inovações estão adjacentes ao momento. Só elas poderão tornar-se reais. Um gênio visionário que pense muito à frente de seu tempo é sempre um perdedor e morre pobre. Inovações possíveis estão sempre em adjacentes possíveis.

As seis tecnologias que Steven Johnson examina são:

1. Vidro (de vidreiros venezianos para telescópios e microscópios);

2. Frio (dos depósitos de gelo-[icehouses]-do passado para a refrigeração moderna, e a forma como a nossa infraestrutura de alimentação, a ciência médica, e a geografia foram transformadas pela habilidade de manipular o calor);

3. Som (dos cânticos rituais primitivos ao fonógrafo, a música, o ruído urbano, e o radar);

4. Higiene (as inovações que permitem que as cidades crescessem sem serem destruídas pelas doenças; a teoria dos germes da medicina, e as salas hiper-esterilizadas nas fábricas de microprocessadores);

5. Tempo (astronomia antiga, a idade da navegação, a revolução industrial e o relógio, o tempo em microssegundos nos computadores modernos);

6. Luz (a partir de velas à lamparina de óleo de baleia, as alterações dos ciclos de sono humanos graças à luz artificial, lasers e microscopia eletrônica).

Cada uma dessas seis histórias é uma tapeçaria fascinante de narrativas de sacrifício pessoal, gênio, erro, loucura e dificuldades do grupo de inventores responsável por cada uma delas.

A mensagem de “como chegamos ao agora” é que a história da tecnologia é complexa e não linear. Inovações surgem do “possível adjacente” – você tem ferrovias quando está no tempo certo para ferrovias aparecerem, e não antes, mesmo que alguns inventores tenham tentado esboça-la com antecedência.

E, quando inovações surgem do cruzamento entre ideias, abrem todo tipo de novas possibilidades. Elas são construídas pelo trabalho humano, mas também são moldadas por forças sociais mais amplas, e realimentam essas forças. A tecnologia não muda uma coisa só, mas várias, e por um longo tempo essas mudanças reverberam através dos séculos.

O tema de meu próximo livro – “A intrigante ciência das ideias que dão certo” é o mesmo deste de Steven Johnson – mas minha ênfase é em como detectar os possíveis adjacentes à sua volta, e operar com eles criando inovação de forma sistemática. Aguardem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s