Em um país no qual apenas 5% tem algum conhecimento em língua inglesa, segundo o British Council (Consulado Britânico), dominar um idioma estrangeiro é uma vantagem poderosa no mercado de trabalho brasileiro. Contudo, fluência não garante os sotaques que têm melhor aceitação no mundo dos negócios: o americano e o britânico. “Isso porque a pronúncia está diretamente ligada à percepção de profissionalismo e expertise – mesmo que isso não condiga com a realidade”, comenta, poliglota brasileiro e linguista do aplicativo de idiomas Babbel, em Berlim, na Alemanha. “Idealmente, a pronúncia correta tem de ser trabalhada ao mesmo tempo que se aprende – e não depois”, diz Vitor.

Inglês fluente

No Brasil, a regra de usar somente o idioma inglês no trabalho geralmente se aplica somente à direção de empresas multinacionais. Já na Europa, muitas vezes a regra se aplica a todos os funcionários – principalmente em startups, empresas de tecnologia e agências de publicidade.

Segundo a BBC britânica, a alemã Audi, a francesa Renault e a sul coreana Samsung são algumas das companhias que estão adotando o inglês como idioma oficial, independente do país onde estão presentes. Quanto às startups e empresas de serviços online, o quadro é parecido. Em Berlim, capital da potência europeia, o aplicativo de idiomas Babbel, Soundcloud, Spotify e muitas outras têm a língua inglesa como oficial.

Contudo, o sotaque pode ser uma desvantagem na hora de se candidatar a um trabalho no exterior e até mesmo galgar posições mais altas na própria empresa. “Na idade adulta é quase impossível aprender uma nova língua sem sotaque. Então, a melhor maneira de amenizá-lo é ouvir e falar no idioma o máximo possível”, diz Vitor Shereiber.

Recursos para suavizar o sotaque

  • Podcasts
    Ouvir é o primeiro mandamento para uma boa pronúncia. Se o sotaque desejado é o britânico, o jornal The Guardian tem ótimas opções, como o Chips with everything, sobre tecnologia, e o The Guardian UK: Culture Podcast, sobre cultura britânica. Geralmente eles têm de 25 a 40 minutos de duração.
  • Tandem
    Tandem é uma prática muito popular na Europa e nos Estados Unidos, onde a circulação de pessoas de diferentes nacionalidades é alta. A atividade consiste em encontros regulares geralmente entre duas pessoas que estão aprendendo a língua materna um do outro. Exemplo de dupla: um alemão que está aprendendo inglês e um britânico que está aprendendo alemão.  Como no Brasil não é tão comum encontrar estrangeiros para essa troca de aprendizado, uma opção é o Tandem, um aplicativo que permite essa prática online com pessoas do mundo todo.
  • Aplicativos de idiomas com reconhecimento de voz.
    Aprender com um app que conte com esse recurso é uma excelente opção porque o estudante tem a oportunidade de treinar a pronúncia assim que aprende algo novo. O aplicativo de idiomas Babbel, por exemplo, apresenta recurso de reconhecimento de voz, além de áudio e exercícios de escrita e memória.
  • Método Tomatis
    O otorrinolaringologista francês Alfred Tomatis descobriu que cada idioma tem sua própria largura de banda. Como um episódio de Black Mirror, escolas de idiomas, como a Sound Sense, em Paris, começaram a usar esse método para ajudar a re-treinar o cérebro dos estudantes para frequências de inglês, usando um dispositivo chamado ouvido eletrônico. Similar a um aparelho auditivo, trata-se de um conjunto de fones de ouvido que transmite som – pequenas vibrações que passam através do crânio para o ouvido interno.