Belém e Manaus desligam sinal analógico e aderem à TV digital

Rio de Janeiro – O presidente da Anatel, Juarez Quadros entrega kit para instalação de TV digital de número 700 mil no Rio de Janeiro (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Mais de 1.300 cidades brasileiras já abandonaram as transmissões por antena convencional

Belém (PA) e Manaus (AM)  desligam sinal analógico e aderem à TV digital. O sinal analógico será abolido nessas capitais em 30 de maio de 2018. Mais de 1.300 cidades brasileiras que dispõem de HDTV deixaram de transmitir por antenas convencionais. A mudança, anunciada pelo diretor-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Juarez Quadros, atinge  várias cidades do Amazonas e no Pará, na Região Norte.

No Amazonas o sinal sai do ar em Manaus e nos municípios de Careiro da Várzea e Iranduba. No Pará o fim foi anunciado para a capital, Belém, e mais 11 municípios: Ananindeua, Barcarena, Benevides, Bujaru, Cachoeira do Arari, Colares, Marituba, Ponta de Pedras, Santa Bárbara do Pará, Santa Isabel do Pará e Santo Antônio do Tauá.

 Teresina
Além de Belém e Manaus, a região metropolitana de Teresina terá o sinal analógico de TV desligado em 30 de maio, informou a Anatel.

Iniciado em fevereiro de 2016, em Rio Verde (GO), o desligamento do sinal analógico de TV já ocorreu em 1300 cidades, sendo 13 capitais. A Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel) informa que a mudança só ocorre quando o sinal digital atinge, ao menos, 93% dos domicílios daquele município. Há, no entanto, uma margem de erro de três pontos percentuais.

De acordo com a Anatel, com o desligamento do sinal analógico, haverá a liberação da faixa de 700 MHz, atualmente ocupada por canais de TV aberta. Essa radiofrequência será utilizada para ampliar a disponibilidade do serviço de telefonia móvel e Internet 4G no Brasil.

O que fazer?

Quem tem TV analógica vai precisar ter um conversor e uma antena digital para continuar a ver as imagens. A Empresa Administradora da Digitalização distribui kits gratuitos, com antena e conversor, aos beneficiários inscritos no Cadastro Único, que participam de programas como Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Tarifa Social de Energia Elétrica.

 

(com informações da Agência Brasil)