Localizada na China, a estrutura começa a gerar energia e promete ser um potencial na luta contra a poluição do país

O grande crescimento populacional da China, atualmente com 1,3 bilhão de pessoas,  tem trazido preocupações ao governo do país, principalmente pelo constante aumento da poluição. Baseado nisso, algumas medidas são mais que necessárias para reverter essa situação. Entre elas, a construção de usinas solares a toque de caixa.

E a novidade acontece Huainan, província de Anhui. Rica em carvão, a cidade ganhou uma usina solar flutuante de 40 MW, localizada em uma área de mineração – inundada por causa das chuvas – e considerada a maior do mundo. Os painéis têm o risco de superaquecimento minimizados pelo ar mais frio da superfície, por isso é uma boa ideia ser utilizado em áreas inundadas. Já os equipamentos são da empresa chinesa Sungrow e foram projetados para usinas flutuantes, funcionando em ambientes úmidos e com a presença de sal.

Fonte: Tecnoblog