Sob o tema “Siga esse mosquito. Aedes Aegypti. Juntos, a gente te pega”, a campanha publicitária, assinada pela dupla Adriana Cury e Leandro Sanches, busca uma linguagem que simula antigos filmes policiais. As peças de TV, encomendadas pela Prefeitura de São Paulo

à agência Lua Propaganda, mostram imagens do mosquito sob diferentes ângulos, como se fossem fotos de uma investigação. Um locutor em off apresenta o inseto como o grande vilão da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. “Ele não perdoa. Pica. E pode matar”. A Locução ainda informa que 11.000 agentes municipais já estão nas ruas para combater o inseto.

Levada ao ar durante todo o mês de novembro, a campanha parte do princípio de que é impossível combater o mosquito se não houver o engajamento da população. Essa participação e estimulada por meio de peças publicitárias nas TVs abertas, rádios, banners no mobiliário urbano e site de internet, com ênfase nas redes sociais. O objetivo principal é levar a população para o Facebook, Instagram e Twitter, onde o Mosquito Vilão tem um perfil.

É ali que a campanha ganha corpo, fazendo com que a população interaja com a prefeitura. Neste ambiente estão dicas preventivas, cuidados, sintomas das doenças, histórico do mosquito e seus hábitos, regiões afetadas. Por outro lado, a população também pode colaborar, indicando locais de entulhos de lixo, casos de pessoas afetadas, etc. O objetivo é gerar conversa e criar uma relação de proximidade entre a prefeitura e a população, unidas no combate a um inimigo comum.

Rádio

No rádio, a voz caricata de um detetive passa à população a importância do combate ao Aedes Aegypti, pedindo que ela siga todas as suas dicas de proteção. “Ele é um velho inimigo seu. Invade a sua casa pra roubar a sua saúde. Mas também pode roubar a sua vida”.

A campanha também estará presente em encartes de jornais de distribuição gratuita: Metro, Destak e Estadão Expresso, os quais distribuirão ímãs de geladeira com o mosquito.

Estátuas Humanas:

Uma grande ação acontecerá nos pontos estratégicos de maior fluxo de pessoas na cidade.

Sob o tema “Contra o Mosquito Vilão ninguém pode ficar parado” a população poderá interagir e tirar selfies com “estátuas humanas” representando uma família composta de homem, mulher e dois filhos adolescentes. Cada um deles, inerte, carrega um item que pode conter água parada e onde o mosquito vilão se desenvolve: dona-de-casa com um vaso de plantas, homem com um pneu, adolescentes com garrafas e calhas.

Promotores vestidos com a camiseta da Prefeitura e o tema da campanha distribuem folhetos explicativos com um ímã de geladeira para os transeuntes.