A mais moderna fábrica de MDF do Brasil, recentemente inaugurada, no Mato Grosso do Sul, demandou um esforço construtivo que consumiu três anos de trabalho. A obra que criou a unidade industrial chegou a ter 700 pessoas trabalhando simultaneamente. “A técnica para construir a fábrica GreenPlac foi inovadora”, diz José Roberto Colnaghi, da Asperbras.
Inaugurada oficialmente no último dia 4 de julho, a unidade industrial instalada em Água Clara, no Mato Grosso do Sul, precisou receber cuidados especiais para o perfeito funcionamento de seu maquinário de última geração, importado da Siempelkamp, da Alemanha.
Para garantir a uniformidade topográfica do terreno e a redução da trepidação, causada pelo funcionamento das máquinas, foram afixadas ao solo 1.900 brocas de concreto de 30 metros de profundidade por 60 centímetros de diâmetro. Sobre essa estrutura foi assentada uma espessa camada de concreto armado. Dessa forma, a fábrica inteira está instalada como se fosse uma única peça. Caso ocorra algum tremor, a ocorrência será uniforme em toda a estrutura fabril, evitando danos ao processo produtivo.
Os investimentos na planta fabril são da ordem de R$ 600 milhões, maior investimento do Grupo já feito no país em seus 52 anos de atuação. Serão processados inicialmente 250 mil metros cúbicos por ano. Futuramente, uma segunda linha produtiva deverá elevar a capacidade de produção para aproximadamente 650 mil metros cúbicos anuais.
A estrutura física da GreenPlac é de 40 mil metros quadrados, construídos em um terreno de 510 mil metros quadrados. Ela possui uma linha de produção de 425 metros em linha reta, onde são preparadas as placas de MDF. “É necessário que o nivelamento do terreno tenha precisão milimétrica, para o perfeito funcionamento do maquinário”, pontua José Roberto Colnaghi, CEO do Grupo Asperbras.

CONSUMO DE ENERGIA

A GreenPlac, desde seu nascimento, tem o compromisso de ser sustentável. Toda a energia necessária para a operação é produzida pela Usina de Biomassa de Guarapuava, outro empreendimento do Grupo Asperbras no estado do Paraná. Os 10 MW de energia produzidos a partir dos rejeitos das fábricas de móveis da região, galhos, raízes, toras finas e copa de árvores são utilizados como lenha para alimentar as caldeiras da usina. Essa produção energética é comercializada no estado do Paraná e os recursos são utilizadas para a aquisição de eletricidade no Mato Grosso do Sul, e abastecer a planta industrial da GreenPlac.