A linha “iameco” da MicroPro promete durar 10 anos e usa apenas um terço da energia gasta por outros equipamentos

A empresa irlandesa MicroPro e o Instituto alemão IZM juntaram forças para encontrar uma solução sustentável para o descarte de equipamentos tecnológicos. A iniciativa resultou na criação do “iameco” (I am eco – eu sou eco), o primeiro computador biodegradável e pronto para reciclagem.

O aparelho promete duração de até 10 anos e suas peças podem ser substituídas de acordo com as atualizações da tecnologia. No site oficial da marca, eles definem o produto como um “computador de alta performance sustentável e ecológico”.

Atualmente, o iameco possui dois modelos: o primeiro é um laptop touchscreen no qual a carcaça é feita de madeira e o segundo, seguindo a linha do original, tem a parte externa no mesmo material e é composto por peças substituíveis e livres de químicos prejudiciais e metais presentes na maioria dos dispositivos.

Durabilidade

O intuito da criação da nova tecnologia é permitir que o aparelho tenha utilidade média de 10 anos, período significativamente maior do que o dos outros computadores disponíveis no mercado. E, para garantir que o PC não fique obsoleto rapidamente, os engenheiros criaram um projeto modular, permitindo que componentes individuais dos laptops iameco possam ser trocados à medida que atualizações fiquem disponíveis e ou sejam necessárias.

Compromisso com o meio ambiente

Para reforçar sua preocupação com o meio ambiente, todos os componentes utilizados na composição e montagem dos PCs são livres de químicos tóxicos como chumbo, cádmio, mercúrio, PVCs e retardadores de chama bromados.

Além disso, os computadores iameco destacam-se por conta de um detalhe importante: a nova tecnologia utiliza um terço de energia a menos do que os outros computadores do mercado e não têm plástico à base de petróleo em sua estrutura – em vez disso, os dispositivos são finalizados com material feito de cinzas naturais, colhidas de florestas sustentáveis.

O iameco V.3 foi o primeiro a receber certificação EU Eco Flower, que impõe padrões ambientais rigorosos. Já a produção do modelo DR4 (Design 4 Reuse) tem redução de 75% de água e a taxa de reutilização e reciclagem chega a 70%.

Mas não só de computadores vive a empresa irlandesa: a marca já desenvolveu acessórios duráveis como teclados e mouses feitos de madeira sustentável.

Fonte: CicloVivo e Pequenas Empresas & Grandes Negócios